expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Animação Allergy To Originality Desconstrói a Originalidade

Cópia Fiel>>>
Ensaio animado sobre a originalidade. Para quem reclama de vivermos em uma geração onde as ideias esgotaram e apenas replicamos fórmulas prontas, o curta animado "Allergy To Originality: A New York Times Op-Doc" pondera sobre a virtual inexistência de idéias originais desde o início da história da cultura e da arte. Drew Christie é um animador, cineasta e ilustrador que produz cria um curtas sofisticados para o New York Times. Refletindo sobre a ascendência da criação em um eterno ciclo de remixes, ele mostra com suas aquarelas e humor peculiar, como a estrutura da cultura sempre existiu na canibalizando outras idéias.


A animação é um diálogo entre um bilheteiro de cinema e um homem indignado com a hegemonia de remakes, sequências, prequels, adaptações e spin-offs no cinema. Irritado, o cliente na fila do cinema pergunta ao caixa: "com licença, Hollywood desenvolveu alguma alergia à originalidade?" A resposta monocórdica do personagem por traz do vidro resume o debate de forma sóbria e brilhante.

"Através da história da literatura e das artes em geral, boa parte dos trabalhos artísticos são repetições da tradição; fazem parte da história da criatividade artística o plágio, roubo  literário, apropriação, incorporação, reinterpretação, reescrita, recapitulação, revisão, reprise, variação de temáticas, reapropriação irônica, paródia e assemblages.  Não existe distinção rigorosa ou precisa entre práticas como imitação, plágio estilístico, cópia, réplica e falsificação. Esses processos de apropriação são o eixo central da literatura, no qual a tradição do passado canônico está sendo constantemente reescrito. Esses processos de apropriação, vitais para toda a história da arte, ganharam mais e mais importância desde o começo do século 20, com a explosão do modernismo e pós-modernismo; na arte moderna e pós-moderna, a apropriação ganhou destaque como principal recurso de representação."

Atônito, o homem  pergunta onde o bilheteiro aprendeu essas coisas. "Wikipedia, página sobre  Plágio, palavra por palavra",  responde o bilheteiro.

Ao criar "Allergy To Originality: A New York Times Op-Doc", Drew copiou pinturas, fotografias e desenhos, então fotocopiou tudo para  ressaltar a falta de originalidade de todo o processo. O  filme é repleto de imagens que fazem referências artísticas e  literárias. Além disso, os dois principais personagens são inspirados nos cineastas russos Andrei Tarkovsky e Sergei Eisenstein. Muito interessante ver idéias preconcebidas ruindo diante de dados históricos e citações de internet se desdobrando em ironia para demonstrar a máxima que persegue a humanidade desde antes da história começar. Afinal, nada se cria mesmo.

Veja mais vídeos na página do artista.

Página sobre Plágio na Wikipedia
Página sobre Originalidade na Wikipedia

Veja mais animações no Macaco Malandro:
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...